Burnout: O que é e como saber se está sofrendo disso

Siga nossas redes sociais

Já ouviu falar em Burnout? Conheça mais sobre a síndrome de esgotamento no trabalho, seus efeitos e saiba se você pode estar passando por ela!

O que é Burnout?

Burnout é o nome dado à Síndrome do Esgotamento no trabalho, vem da língua inglesa e sua tradução pode ser algo como tostado, queimado.

A sensação causada pela síndrome é de cansaço extremo, como se seu corpo estivesse no limite. Uma pessoa antes motivada, competente e eficiente, dá lugar à apatia e desmotivação.

Suas entregas no trabalho perdem a qualidade, a energia é quase zero e acaba ligando o piloto automático. Em função disso acaba nascendo a irritação, insatisfação consigo, desânimo e a sensação de fracasso.

A Burnout ocorre quando o estresse no trabalho vai se acumulando até virar uma bola de neve. Seu diagnóstico pode ser difícil de descobrir.  O International Stress Management Association (Isma), estima que a síndrome acomete cerca de 30% de profissionais no Brasil.

A Burnout também é responsável por grande parte do absenteísmo nas empresas, pois, muitos funcionários acabam tendo que se ausentar para realizar exames e por licenças médicas. E por vezes, mesmo presentes, funcionários estão com suas mentes em outros lugares.

Efeitos do Burnout no trabalho

Quem está sofrendo com o Burnout, rende muito menos trabalho, podendo perder até cinco horas por semana. O esgotamento é tanto que pode aumentar os riscos de acidentes e erros, que prejudicam tanto o profissional, quanto a empresa.

As consequências poderão ser percebidas inclusive no relacionamento com os colegas de trabalho, que num primeiro momento até podem se solidarizar com o colega, oferecendo ajuda com as tarefas, mas por terem que assumir demadas do outro e se sobrecarregando acabam questionando a situação.

A pessoa com burnout, pode inclusive, ser excluída das atividades sociais e happy hours da empresa, por estar sempre ausente.

Quem pode ter?

As categorias em que mais se observa a ocorrência de Burnout, são nos profissionais de saúde (enfermeiros e médicos) e pessoas que tem que lidar com o sofrimento ou relações humanas (psicólogos, professores, assistentes sociais, atendentes de telemarketing, etc.)

Estima-se também, que nas mulheres a ocorrência da síndrome costuma ser mais recorrente do que em homens. Isso se deve às múltiplas funções que elas desempenham. Geralmente as mulheres acumulam tarefas por cuidarem do ambiente profissional e doméstico.

Infelizmente a sociedade ainda convive com o machismo, por isso, as mulheres são as mais cobradas e as menos recompensadas. A pressão é muito grande para dar conta da família, relacionamentos e trabalho. Tudo isso, acaba abrindo as portas para a síndrome de burnout.

Principais sinais de Burnout

O primeiro sem dúvida é a exaustão, como se esgotasse toda energia, seguida de sintomas físicos como:

  • Dores de cabeça;
  • Dores musculares;
  • Baixa imunidade;
  • Insônia;
  • Alergias;
  • Queda de cabelo;
  • Náuseas;
  • Diminuição da libido.

O segundo sinal aparece no âmbito emocional, são eles:

Outro sinal é forma do profissional se relacionar com os colegas no trabalho, geralmente ele é ranzinza, negativo e pessimista, uma vez que está com dificuldades para produzir e se sente desvalorizado.

As consequências da Burnout podem ser bastante graves. O estresse gerado pela síndrome, aumenta a produção de cortisol (hormônio do estresse) e pode trazer à tona doenças autoimunes, cardiopatias, tendências a ataques de pânico e depressão.

Excesso de autocobrança

O excesso de autocobrança é um dos maiores responsáveis pela Síndrome de Burnout. A perfeição absoluta é algo difícil de se atingir, mas isso muitas vezes nos parece complicado de aceitar e acabamos colocando uma pressão imensa sobre nós mesmos.

Aceitar que não somos e nem seremos sempre perfeitos ajuda. Principalmente, se tivermos a consciência de que não precisamos ser e nem seremos unanimidades em lugar algum.

Mudar é preciso

Se está se identificando muito com o texto, é hora de mudar. Fuja da Síndrome de Burnout. Veja algumas dicas:

  • Está obcecado pelo trabalho? É o único lugar em que encontra um sentido para sua vida? Então é hora de buscar outras fontes de compensação. Inclua na sua rotina, hábitos de prazer, o que pode ser ler um livro, sair com amigos, ir ao cinema…
  • Seu trabalho te ajuda a ser melhor? Qual a sua principal motivação? O custo benefício vale a pena? Faça essa reflexão! Caso tenha muitas respostas negativas, é um bom momento para se planejar para buscar algo que realmente tenha sentido para você.
  • Procure focar nos aspectos positivos do seu trabalho.
  • Preste atenção em você. Observe seu corpo e comportamento, o que está bom e o que não está. Autoconhecimento ajuda bastante.
  • Cuido do seu estilo de vida, alimente-se bem, pratique atividades físicas (ajuda a diminuir o cortisol), mantenha-se hidratado e experimente meditar!

Agora você já sabe o que é burnout! Fique atento! Se este artigo foi útil para você, compartilhe com seus amigos.

Até breve!

Siga nossas redes sociais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gostou do Blog? Compartilhe :)

Inscreva-se em nossa newsletter para receber novidades!

You have successfully subscribed to the newsletter

There was an error while trying to send your request. Please try again.

Carol Ornellas will use the information you provide on this form to be in touch with you and to provide updates and marketing.